Capuchinhos realizam Fórum com entidades e pastorais sociais

Em vista de sermos “Igreja em saída às periferias existenciais”, como “Igreja pobre e para os pobres”, contando dentre “os pobres mais abandonados e maltratados a nossa terra” também (LS 2), nós capuchinhos no Estado de São Paulo, para fortalecer as nossas entidades e pastorais sociais que estão em nossas presenças (paróquias e conventos), promovemos o I Fórum de Entidades e Pastorais Sociais da Província, com o tema “do assistencialismo à promoção humana integral”, organizado pela Comissão de Justiça, Paz e Integridade da Criação (JPIC) dos capuchinhos de SP, acontecido nos dias 18 e 19 de maio, no Seminário São Fidélis, Piracicaba, SP.

Participamos 22 pessoas, tanto a equipe de JPIC da Província, como membros de diversas entidades e pastorais sociais vindos de São Paulo, Sumaré, Piracicaba, Birigui e Penápolis. Iniciamos com a celebração festiva da Eucaristia no início do dia 18, cuja festa é de São Félix de Cantalício, irmão capuchinho que pedia esmola e levava às pessoas acolhida, fraternidade e misericórdia. Após, tivemos uma manhã de partilha de experiências das variadas realidades e serviços que fazemos, bem como uma apresentação sobre o serviço JPIC na Igreja e na Província, percebendo a necessidade de crescermos mais quanto à Fé e Política e no compromisso com os movimentos sociais e ecológicos.

À tarde, como propôs ser um fórum, com uma construção conjunta e unindo reflexão e vida, visitamos a favela Frederico, ao lado do Bosques dos Lenheiros, onde os frades têm atuado. Junto com lideranças de lá nos dividimos em grupos e visitamos algumas famílias, numa troca de experiência e aprendendo muito com a realidade muito sofrida daquelas quase mil famílias residentes nesta favela. Ao retornarmos à capela do bairro, realizamos uma profunda partilha e pudermos aprender pela ausência de justiça, da paz e de cuidado, os mesmos valores fundamentais que a Igreja se coloca a defender e se dedicar: ser advogada dos pobres, construir a paz e cuidar da vida mais frágil em todo lugar! Ao retornarmos ao Seminário, tivemos ainda um momento de fundamentar esta opção pela justiça, paz e cuidado da criação a partir da Doutrina Social da Igreja, principalmente dos documentos do Papa Francisco, e do mesmo Francisco de Assis, os entendendo com muito mais profundidade e compromisso depois da vivência das visitas que tivemos.

No domingo, 19 de maio, tivemos frei Mateus Bento explanando sobre os Direitos e Políticas Públicas e como garanti-los, sobre os mecanismos e meios para conquistá-los, dentre os quais, além de várias legislações e instituições, a sempre necessária participação e mobilização para exigi-los. Em seguida participamos da Eucaristia no Seminário e avaliamos o fórum. Foi unânime quão importante e positivo foi este fórum, fortalecendo a todos que participaram, tendo melhor conhecimento da perspectiva da JPIC na Província e a ampliação da compreensão do valor de nossas entidades e pastorais sociais, muito bem aprofundado com as reflexões e as visitas às situações sofridas na periferia, tão presentes entre nós. Foi sugerido que este fórum se realize anualmente, que fosse trabalhado por regiões da Província a Doutrina Social da Igreja e Políticas Públicas, envolvermos mais a juventude e organizemos atividades e caminhada pela paz e ecologia nas realidades de nossas paróquias e conventos… Por fim, finalizamos com a “oração cristã pela criação” do Papa Francisco, contida na Encíclica Laudato Si’, junto à exposição itinerante Laudato Si’ – do Movimento Católico Global pelo Clima – presente durante o fórum, na semana em que esta importante encíclica completa 4 anos no dia 24 de maio.

 

Frei Marcelo Toyansk Guimarães (JPIC da Província dos Capuchinhos de São Paulo).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *