Animadores capuchinhos de JPIC se reúnem on-line para ações

Os animadores capuchinhos de JPIC (Justiça, Paz e Integridade da Criação) do Brasil se reuniram novamente on-line no sábado, 6 de junho de 2020, via zoom, das 9h até o meio-dia (hora de Brasília). Estavam presentes 21 participantes, sendo 18 frades capuchinhos das comissões de JPIC de onze circunscrições capuchinhas do Brasil, bem como o animador de JPIC da Ordem, o filipino frei Joel de Jesus, residente em Roma, também frei Nilmar Gatto, ministro provincial referência para JPIC na CCB, além da irmã Marinalva Carvalho, franciscana do Coração de Maria e animadora de JPIC em SP.

Após a “oração pela nossa terra” (LS 246), recordou-se da reunião anterior dois encaminhamentos: a elaboração de uma carta pela JPIC aos frades capuchinhos do Brasil e situações urgentes acompanhadas pelos capuchinhos a serem reportadas para a JPIC da Ordem, a fim de terem mais visibilidade. Quanto à carta elaborada, fora intitulada “Sermos Igreja solidária e ‘hospital de campanha’ em meio à pandemia”, e fora assinada pelo presidente da CCB e pela JPIC da CCB, com boa divulgação aos frades, inclusive postada nos sites da CCB e da CFFB. Quanto ao segundo ponto, Frei Klenner da Silva tem feito um relatório com mais três frades capuchinhos – frei Mateus Bento, frei Paolo Braghini e frei Volmir Bavaresco – sobre o intenso trabalho e acompanhamento que desempenham junto às comunidades indígenas em várias regiões do Brasil, a fim de enviar à JPIC da Ordem para maior visibilidade desta realidade tanto dentro da Ordem como junto a outros organismos internacionais.

A seguir alguns frades partilharam a realidade da JPIC em sua circunscrição (os que não puderam fazê-lo na reunião anterior), principalmente neste tempo de pandemia. Frei Wendeo Terceiro, pela JPIC da Província do Maranhão/Pará/Amapá, partilhou a preocupação da JPIC em informar os cuidados necessários a ter diante do covid. Frei Acélio Pessoa, da JPIC da Província do Ceará/Piauí, partilhou a preocupação sobre a vida econômica de muitas pessoas desempregadas, inclusive muitos que estão em nossas comunidades. Frei João Batista, pela JPIC da Província do Paraná/Santa Catarina, reportou que fizeram lá um bom processo formativo da JPIC aos frades (nas atualizações provinciais, na Semana da formação inicial, na horta beneficente com os formandos…), necessitando, então, alargarem a atuação da JPIC “externamente” à Província, repercutindo nas ações pastorais, com outras entidades e no mundo; e nesse tempo de pandemia os frades têm ajudado nas paróquias com diversas ajudas ao povo. Frei Alan Santana, pela JPIC da Província da Bahia/Sergipe, animador de JPIC há alguns meses, ressaltou que há trabalhos de JPIC a partir das paróquias, mas ainda não reconhecidos como atividades de JPIC; nesses primeiros meses, a animação de JPIC focou na formação às fraternidades e às casas de formação; e recordou a realidade dificílima da fraternidade capuchinha Santa Dulce junto ao Hospital Santo Antônio (Salvador), devido às dificuldades financeiras e de atendimentos aos afetados pelo covid; os frades têm, em quase todas as fraternidades, angariado doações às famílias necessitadas; recordaram a Laudato Si’ em lives e em festa da Padroeira, e iniciam um trabalho com catadores de material reciclável.

Houveram outras várias partilhas dos frades sobre ações em meio a esse tempo de pandemia. Frei Claudelino Brustolin, pela JPIC da Província do Rio Grande do Sul, partilhou o esforço de garantirem lá o emprego dos cerca de 400 funcionários das várias entidades da Província diante do crescimento do desemprego; foi também enviada uma carta circular sobre os cuidados diante da pandemia; além de muita assistência com doações e outras ajudas. Frei Warley Alves, pela JPIC da Província de Minas Gerais, relatou que organizaram uma campanha de doação de sangue junto a todas as fraternidades capuchinhas e comunidades paroquiais, também em parceria ao Hemocentro, uma vez que as doações diminuíram muito neste tempo de pandemia; em Belo Horizonte, desenvolvem junto à Arquidiocese uma campanha ampla de arrecadação de alimentos e produtos de limpeza às famílias nas áreas periféricas de toda BH; todavia, comenta que ainda é desafiante a articulação da JPIC na Província.

Frei Edmilson de Jesus, pela JPIC da Província do Brasil Central, ressaltou a urgência atual de ajudas com alimentação e remédios às famílias, percebendo diante disto várias fraternidades/paróquias capuchinhas muito sensíveis a isto e mobilizações para estas ajudas. Frei Mateus Bento, da JPIC da Província de São Paulo, ressaltou que precisamos ter todo o cuidado, mas nossa Ordem nasce neste contexto de socorro em meio à pandemia, de modo que não podemos ficar só esperando o poder público fazer, e ele percebe que os capuchinhos estão ainda muito aquém de responder às urgências do povo. Frei Diego Bezerra, pela JPIC da Província do Nordeste, disse que a JPIC ainda tem muitos desafios na Província, mas na medida do possível eles têm sido presentes junto às pastorais sociais, buscando amenizar o sofrimento do povo que vive em palafitas em Recife, fazendo a mediação da classe média e as periferias, distribuindo durante a atual pandemia cerca de 2,5 mil cestas básicas e ajudado através do projeto social Frei Damião. Frei Marcelo Toyansk, pela JPIC da Província de São Paulo, comentou sobre uma campanha financeira que a JPIC de SP e a OFS de SP têm feito para auxiliar as comunidades do Alto Solimões, ajuda enviada aos frades capuchinhos lá presentes; e a JPIC está organizando formações on-line, neste tempo de quarentena, para os agentes das pastorais sociais das presenças dos capuchinhos de SP, a fim de fortalecê-los na solidariedade e atuação. Frei José Longarez, da JPIC da Província de São Paulo, citou seu acompanhamento on-line com as fraternidades da OFS neste tempo.

A seguir frei Joel de Jesus comentou que estamos diante de um grande desafio com a pandemia, e, às vezes, precisamos responder de uma maneira que até põe em risco a nós; comentou que, enquanto muitos pedem nossas ajudas, percebemos que temos somente “cinco pães e dois peixes”, ao que precisamos orar para o Senhor multiplicar os nossos esforços; também precisamos de algumas pistas e diretrizes para atuar em meio à pandemia. Ele apresentou o projeto de JPIC da Ordem chamado “Movimento Mundo Verde dos Capuchinhos”, a acontecer de junho de 2020 a junho de 2021, em resposta à emergência climática: para que em cada convento tenhamos árvores, jardim e horta e cada circunscrição tenha um projeto de reflorestamento. Depois ele comentou ainda que a Cúria Geral está disposta a ajudar o Brasil e a Índia neste tempo de pandemia, e se há projetos dos capuchinhos de assistência e socorro, neste tempo de covid, enviar ao próprio ministro provincial que o encaminhará à Cúria. A JPIC da CCB tem ajudado na elaboração e encaminhamento de dois projetos: em socorro às comunidades indígenas (com as barreiras sanitárias) no Mato Grosso do Sul, a ser conduzido pelos capuchinhos da Província do Brasil Central; e em socorro à favela do Turano, Rio de Janeiro, pedido pelos capuchinhos da Província do Rio de Janeiro e Espírito Santo.

Frei Marcelo Toyansk, pela JPIC da CCB, apresentou a proposta de formação de equipes interfranciscanas de JPIC por estado/região do Brasil, de modo que os animadores nacionais de JPIC dos OFM, OFS, Jufra e capuchinhos favorecerão essa formação de equipes, fazendo a conexão entre os animadores da JPIC da mesma área, a fim de fortalecer o serviço JPIC por regiões. Buscarão também integrar outros animadores franciscanos de JPIC, como de congregações franciscanas, conventuais… Propõem estas equipes iniciarem a partir da Economia de Francisco diante da recessão e empobrecimento crescentes. O Nordeste já realizou em 2019 um Congresso interfranciscano de JPIC, aproximando muito os animadores de JPIC dos diversos ramos franciscanos, o que foi comentado um pouco por frei Acélio e frei Alan, que participaram desse Congresso e têm seguido com essa parceria interfranciscana.

Por fim, frei Marcelo recordou a necessidade de postarmos no blog da JPIC vídeos, fotos e notícias de atividades de JPIC pelas várias comissões das circunscrições capuchinhas do Brasil. Também recordou as formações semanais do Sinfrajupe, a conferência on-line, via zoom, sobre a presença dos capuchinhos junto às comunidades indígenas (para 30 de junho de 2020, 19h30), e informou que no 11-12 de junho acontece o encontro nacional on-line de JPIC da CRB/CNBB, do qual frei Marcelo e frei José Longarez participarão. E no 19 de junho, ocorre o encontro on-line de animadores capuchinhos de JPIC da CCA e CONCAM. Frei Nilmar agradeceu as atividades em nome da CCB e frei Joel também agradeceu. Frei José Longarez finalizou com uma oração.

Segue o anexo apresentado por frei Joel de Jesus:

Capuchin GEM

Deixe uma resposta